FAQs

Podes recorrer à época de recurso por diferentes motivos: 

  • Se foste aprovado à cadeira em época normal mas queres tentar melhorar a classificação, então aí terás de te inscrever para melhoria de classificação (que deve ser requerido e pago o valor de 12€ até 2 dias úteis antes do exame) – o exame que realizarás será igual ao de recurso.
  • Por outro lado, se não foste aprovado à cadeira na época normal, aí não terás de te preocupar porque estás inscrito automaticamente.

Partindo da tua página deves:
Clicar na lupa de zoom + >> Requerimentos >> Novo Requerimento
A partir daqui efetuar o pedido preenchendo todos os campos necessários antes de submeter o pedido.

Não, a conta corrente deve estar atualizada para te poderes inscrever.
Presta também atenção ao pagamento do seguro escolar.

Está previsto que os alunos que têm acesso à época especial são aqueles a quem falte 21 créditos para obter o grau de “Licenciado” (finalistas, maioritariamente).
Além destes, têm ainda acesso os estudantes que beneficiam do Estatuto de Dirigente Associativo Jovem, do Estatuto de Estudante-Atleta da U.Porto, bem como os Estudantes Envolvidos em Programas de Intercâmbio que não puderam submeter-se à avaliação nas épocas normal e de recurso do semestre em que estiveram ausentes.
Os estudantes com estatuto trabalhador-estudante têm também acesso à época-especial e podem inscrever-se em exames que perfaçam até 15 ECTS ou 2 unidades curriculares independentemente do número de ECTS.
Cada estatuto tem direito a diferentes números de ECTS pelo que para aceder a todos os regulamentos e informações sobre cada estatuto especial consultar este link.

Não, as épocas especiais limitam-se ao fim de obter aprovação à cadeira.

O estatuto de trabalhador estudante deve ser requerido até 20 dias após a inscrição. Apesar de haver mais categorias dentro do estatuto trabalhador estudante, iremos destacar estas três por considerarmos as mais usuais:

  • Se o estudante for trabalhador independente: Requerimento em modelo disponibilizado no site da FEP; Declaração de início/reinício de atividade emitida pela repartição de finanças, no ano desse início ou, nos anos seguintes; declaração de rendimentos da qual não poderão figurar rendimentos nulos; Documento comprovativo de inscrição ou de isenção de inscrição na Segurança Social.
  • Se estudante for trabalhador do estado ou de entidade pertencente à administração pública, os documentos necessários são: Requerimento em modelo disponibilizado no site da FEP; Declaração do respetivo serviço, devidamente assinada pelo responsável e marcada com selo branco, contendo obrigatoriamente o número de identificação da Segurança Social ou número de subscritor da Caixa Geral de Aposentações.
  • Se estudante for trabalhador ao serviço de entidade privada: Requerimento em modelo disponibilizado no site da FEP; Declaração da entidade patronal, atualizada, assinada e devidamente autenticada ou com carimbo ou assinatura reconhecida, com indicação do número de beneficiário da Segurança Social, ou, em alternativa, declaração comprovativa de inscrição na Caixa de Previdência, ou, ainda, mapa atualizado de descontos para a Segurança Social.

A rede eduroam está disponível a todos os alunos da UP em qualquer das suas faculdades. As credencias de acesso seguem o seguinte formato:

Utilizador: up20xxxxxxx@fep.up.pt // Password: password do “Sigarra”.

Partindo da tua página deves:

Clicar na lupa de zoom + >> Requerimentos >> Novo Requerimento.

A partir daqui efetuar o pedido preenchendo todos os campos necessários antes de submeter o pedido. Deves aguardar que o pedido seja aceite e ir consultando a Conta Corrente onde será disponibilizado a referência multibanco para procederes ao pagamento.

Nota: O exame de melhoria deve ser requerido e pago sem falta até 2 dias úteis antes do exame.

Só te podes inscrever para melhoria 1 vez, e poderá ser até à época de recurso do ano letivo subsequente aquele em que tiveste aprovação à unidade curricular.

Partindo da tua página deves:

Clicar na lupa de zoom + >> Requerimentos >> Novo Requerimento.

No tipo de requerimento selecionar Exposição ao Diretor da Faculdade e efetuar o requerimento preenchendo todos os campos necessários antes de submeter.

No máximo, o estudante pode inscrever-se a 75 créditos por ano, e a 42 créditos por semestre exceto aquando da inscrição no primeiro ano pela primeira vez em que aqueles limites são 60 créditos por ano e 30 por semestre. É, no entanto, permitido que o limite de 75 créditos possa ir ate 81 nos casos em que, com aprovação nesse limite, o estudante possa concluir o ciclo de estudos.

Não há prescrições nos primeiros dois anos, qualquer que seja o tipo de ingresso (inicial, reingresso, mudança de curso ou nas transferências).

Para não prescrever posteriormente, um estudante deverá acumular, nos primeiros anos de inscrição, pelo menos 60 créditos. Porém, se apenas acumular 60 créditos, deverá prosseguir o seu curso acumulando pelo menos 50 créditos por ano. Decorrido um ano após a prescrição, o estudante poderá reingressar, mas apenas por concurso. 

Para os estudantes a tempo parcial e demais casos previstos na lei (a seguir designados por “equivalentes a TP”), as condições são as mesmas, mas os limites serão reduzidos em 50%. No caso de estudantes que tenham apenas algumas inscrições em regime “equivalente a TP”, os valores do número (ca*) de créditos exigíveis para que não haja prescrição serão calculados proporcionalmente ao número (iTP) de anos de inscrição “equivalente a TP”, de acordo com a seguinte expressão: ca* = ca (1-0,5( iTP/Itot))

Os trabalhadores estudantes não estão sujeitos ao regime de prescrições, pelo que os semestres em que o estudante usufrua desse não contam nem para o valor de iTP nem de iTOT,

Esta tabela mostra as condições de prescrição para os estudantes inscritos em regime ordinário. Deve ler-se do seguinte modo: Prescreve um estudante que, ao fim de “n” inscrições não conclui o seu curso e não conseguiu obter “c” créditos.

Não há nada estipulado há professores que aceitam e professores que não.
Situações mais relevantes devem ser justificadas à direção da faculdade enquanto faltas esporádicas devem ser justificadas diretamente com o professor.
Ao estudante com estatuto trabalhador-estudante não são assinaladas faltas.

Não se reprova por faltas. O que pode acontecer é, atingindo o número máximo de faltas estabelecidas para certa unidade curricular, o aluno fica impedido de frequentar o regime de avaliação contínua, sendo automaticamente remetido para exame final.

A Associação de Estudantes da FEP tem uma atividade chamada Home Sweet Home, a cargo do Departamento do Estudante e Política Educativa, onde reúne alguns anúncios de casas. Para obteres ajuda e mais informações deves contactar o email: estudante@aefep.pt.

O estudante pode candidatar-se às oportunidades de mobilidade que a FEP tem protocoladas com várias Universidades na licenciatura, a partir do 2º ano.

O período de candidatura decorre, habitualmente, entre outubro e janeiro de cada ano académico, sendo as convocatórias publicitadas no website da FEP e por e-mail.

Podes encontrar as parcerias da FEP no SIGARRA: Inicio >> Internacional >> Mobilidade Out >>Ver Parcerias >> Ver Plano Curricular dos Parceiros.

Sim, as propinas pagas são as da faculdade em que estás matriculado, neste caso – FEP.

A Comissão Europeia atribui um valor que é distribuído pelas diferente universidades. A distribuição de esse mesmo valor é feita de acordo com o SERI (UP) e de seguida segundo critérios estipulados pela FEP, nomeadamente o ranking dos países.

onde estamos

Edifício Principal da FEP
Sala 252

HORÁRIO

Dias Úteis
das 10h00 às 17h00

Contactos

Telefone: 220 426 153
Email: lena@aefep.pt

© 2020 AEFEP. Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por AEFEP.