FAQ’S – Apoio ao estudante

  • Preciso de me inscrever para recurso?

Sim e não. Podes recorrer à época de recurso por diferentes motivos. Se conseguiste “fazer” a cadeira em época normal, no entanto queres tentar melhorar a classificação, então aí terás de te inscrever para melhoria de classificação (que deve ser requerido e pago até 2 dias úteis antes do exame) – o exame que realizarás será igual ao de recurso.

Por outro lado, se não foste aprovado à cadeira na época normal, aí não terás de te preocupar porque estás inscrito automaticamente.

 

  • Quem tem acesso à época-especial?

Está previsto que os alunos que têm acesso à época especial são aqueles a quem falte 21 créditos para obter o grau de “Licenciado” (finalistas, maioritariamente).

Além destes, têm ainda acesso os estudantes que beneficiam do Estatuto de Dirigente Associativo Jovem, do Estatuto de Estudante-Atleta da U.Porto, bem como os Estudantes Envolvidos em Programas de Intercâmbio que não puderam submeter-se à avaliação nas épocas normal e de recurso do semestre em que estiveram ausentes. Os estudantes nestas condições podem requerer exames a um máximo de 4 unidades curriculares.

Os estudantes com estatuto trabalhador-estudante têm também acesso à época-especial e podem inscrever-se em exames que perfaçam até 15 ECTS.

 

  • Quem e como tem direito ao estatuto de trabalhador-estudante?

O estatuto de trabalhador estudante deve ser requerido até 20 dias após a inscrição. Apesar de haver mais categorias dentro do estatuto trabalhador estudante, iremos destacar estas duas por considerarmos as mais usuais:

  • Se o estudante for trabalhador independente:

– Requerimento em modelo disponibilizado no site da FEP.
– Declaração de início/reinício de atividade emitida pela repartição de finanças, no ano desse início ou, nos anos seguintes, declaração de rendimentos da qual não poderão figurar rendimentos nulos.
– Documento comprovativo de inscrição ou de isenção de inscrição na Segurança Social.

  • Se estudante for trabalhador do estado ou de entidade pertencente à administração pública, os documentos necessários são:­

– Requerimento em modelo disponibilizado no site da FEP;
– Declaração do respetivo serviço, devidamente assinada pelo responsável e marcada com selo branco, contendo obrigatoriamente o número de identificação da Segurança Social ou número de subscritor da Caixa Geral de Aposentações.

  • Se estudante for trabalhador ao serviço de entidade privada:

– Requerimento em modelo disponibilizado no site da FEP;
– Declaração da entidade patronal, atualizada, assinada e devidamente autenticada ou com carimbo ou assinatura reconhecida, com indicação do número de beneficiário da Segurança Social, ou, em alternativa, declaração comprovativa de inscrição na Caixa de Previdência, ou, ainda, mapa atualizado de descontos para a Segurança Social.

 

 

  • Como fazer para conectar a rede eduroam?

A rede eduroam está disponível a todos os alunos da UP em qualquer das suas faculdades. As credencias de acesso seguem o seguinte formato:

 

  • Qual é o processo para fazer uma melhoria através do Sigarra?

Deves ir à página dos requerimentos e efetuar o pedido. Vê o vídeo explicativo:

Nota que o exame de melhoria deve ser requerido e pago até 2 dias úteis antes do exame.

Só te podes inscrever para melhoria 1 vez, e poderá ser até à época de recurso do ano letivo subsequente aquele em que tiveste aprovação à unidade curricular

 

  • Como faço um requerimento para o director?

Deves ir à página dos requerimentos e efetuar o pedido.

 

  • Qual é o número máximo de créditos por semestre? E por ano?

No máximo, o estudante pode inscrever-se a 75 créditos por ano, e a 42 créditos por semestre exceto aquando da inscrição no primeiro ano pela primeira vez em que aqueles limites são 60 créditos por ano e 30 por semestre. É, no entanto, permitido que o limite de 75 créditos possa ir ate 81 nos casos em que, com aprovação nesse limite, o estudante possa concluir o ciclo de estudos.

 

  • Qual é o regime de prescrição?

Não há prescrições nos primeiros dois anos, qualquer que seja o tipo de ingresso (inicial, reingresso, mudança de curso ou nas transferências).

Para não prescrever posteriormente, um estudante deverá acumular, nos primeiros anos de inscrição, pelo menos 60 créditos. Porém, se apenas acumular 60 créditos, deverá prosseguir o seu curso acumulando pelo menos 50 créditos por ano.

Decorrido um ano após a prescrição, o estudante poderá reingressar, mas apenas por concurso.

Para os estudantes a tempo parcial e demais casos previstos na lei (a seguir designados por “equivalentes a TP”), as condições são as mesmas, mas os limites serão reduzidos em 50%.

No caso de estudantes que tenham apenas algumas inscrições em regime “equivalente a TP”, os valores do número (ca*) de créditos exigíveis para que não haja prescrição serão calculados proporcionalmente ao número (iTP) de anos de inscrição “equivalente a TP”, de acordo com a seguinte expressão:

      ca* = ca (1-0,5( iTP/Itot))

Os trabalhadores estudantes não estão sujeitos ao regime de prescrições, pelo que os semestres em que o estudante usufrua desse não contam nem para o valor de iTP nem de iTOT,

A tabela seguinte mostra as condições de prescrição para os estudantes inscritos em regime ordinário. Deve ler-se do seguinte modo: Prescreve um estudante que, ao fim de “n” inscrições não conclui o seu curso e não conseguiu obter “c” créditos:

Picture1

 

  • Como é que posso justificar uma falta?

Não há nada estipulado há professores que aceitam e professores que não.

Situações mais relevantes devem ser justificadas à direção da faculdade enquanto faltas esporádicas devem ser justificadas diretamente com o professor.

Ao estudante com estatuto trabalhador-estudante não são assinaladas faltas.

 

  • O que é que acontece se reprovar por faltas?

Não se reprova por faltas. O que pode acontecer é, atingindo o número máximo de faltas estabelecidas para certa unidade curricular, o aluno fica impedido de frequentar o regime de avaliação contínua, sendo automaticamente remetido para exame final.

 

  • Sou de longe e necessito de alojamento. A faculdade pode me ajudar nesse sentido?

A Associação de Estudantes da FEP tem uma página atualizada no Facebook com casas disponíveis. No entanto, o contacto e negociação efetuada entre aluno-arrendatário é totalmente independente da AEFEP.

Facebook CASAS AEFEP: https://www.facebook.com/CASAS-AEFEP-727462757300958/

 

  • Como me posso candidatar ao programa ERASMUS?

As pré-candidaturas ao programa ERASMUS devem ser feitas no formulário que estará disponível no SIGARRA de dia 15 de dezembro de 2017 a 15 de janeiro de 2018.

Podes encontrar as parcerias da FEP no SIGARRA: Internacional – Ver Parcerias – Ver Plano Curricular dos Parceiros.

 

  • Sabendo que tenho acesso à Época Especial, o que tenho que fazer para poder usufruir desta?

Deves ir à página dos requerimentos e efetuar o pedido.

 

  • Quantas cadeiras podem ser feitas em Época Especial? É ilimitado?

Não. Em época especial podes realizar um máximo de 4 unidades curriculares (cadeiras).

Para os trabalhadores estudantes e os finalistas os limites são diferentes.

 

  • Estou a elaborar o meu CV. Há alguém na faculdade que me possa ajudar nesse sentido?

Sim. A FEP é uma faculdade que além de querer proporcionar uma boa base teórica quer também preparar os alunos para uma boa entrada no mercado de trabalho. Nesse sentido, a faculdade dispõe do SEREIA (Serviço de Relações Externas e Integração Académica), serviço responsável pela integração académica, desenvolvimento pessoal e pelo acompanhamento do planeamento e gestão de carreira dos estudantes de todos os ciclos de estudos.

Ajuda a elaborar um CV é uma das várias ofertas que o SEREIA tem para ti.

 

  • Qual é o apoio financeiro atribuído pela faculdade aos alunos que vão de ERASMUS? Depende do local escolhido? Se sim, quais são os critérios?

A Comissão Europeia atribui um valor que é distribuído pelas diferente universidades. A distribuição de esse mesmo valor é feita de acordo com o SERI (UP) e de seguida segundo critérios estipulados pela FEP, nomeadamente o ranking dos países.

 

  • Se for de ERASMUS, tenho que pagar propinas?

Sim, as propinas pagas são as da faculdade em que estás matriculado, neste caso – FEP.

 

  • Posso fazer melhorias em Época Especial?

Não, as épocas especiais limitam-se ao fim de obter aprovação à cadeira.

 

  • Posso me inscrever a exames se tiver propinas em atraso?

Não, a conta corrente deve estar atualizada para te poderes inscrever.

Presta também atenção ao pagamento do seguro escolar.

 

  • Tenho uma dúvida. Sou obrigado a ir pessoalmente aos Serviços Académicos?

Não. A maioria das dúvidas pode ser esclarecida pelo apoio online disponível em https://www.fep.up.pt/servicos/sa/index.php?id_page=5 . Basta que te autentiques com a password de acesso ao webmail e coloques a tua dúvida. Os Serviços respondem-te por esta via. É importante que os teus dados pessoais estejam atualizados (morada oficial, nº de telemóvel, NIF e Cartão de Cidadão). Para isso acede à tua página pessoal, e altera esses dados em “Dados Sociodemográficos”.NOTA: É DE EXTREMA IMPORTÂNCIA MANTERES UMA CONSULTA ATUALIZADA DO TEU E-MAL DINÂMICO. SEGUEM PARA LÁ INFORMAÇÕES CRUCIAIS.